Xacobeo 2021
Caminho Portugués
Etapa

Caldas de Reis - Padrón

Pontevedra - Caldas de Reis
19 km

O peregrino enfrenta o quinto dia do Caminho Português com uma etapa confortável que, em menos de 20 km, o levará a Padrón: o lugar onde, segundo reza a lenda jubilar, desembarcaram os discípulos do Apóstolo Santiago com seu corpo.
A etapa percorrerá ambientes rurais e pequenos núcleos populacionais dispersos e atravessará os municípios de Caldas, Valga, Pontecesures e, finalmente, Padrón, já na província de A Corunha.


Abandonamos Caldas de Reis e as suas águas termais benéficas pela rua São Roque até chegarmos à capela do mesmo nome, padroeiro da localidade
. Saímos pela omnipresente N-550, mas logo metemos por um caminho que surge à direita, que segue uma antiga calçada romana. Um meio rural acompanha o caminhante entre campos e vinhedos até passar pelo viaduto da variante de Caldas.

Aqui começa talvez um dos troços mais belos da etapa de hoje, atravessando uns 2 km de uma bonita zona de floresta, primeiro de pinheiros e eucaliptos para depois se converter numa frondosa carballeira. O trajeto começa uma subida mínima até à freguesia de Santa Mariña de Carracedo, onde reencontramos a estrada e encontramos um bar no qual podemos tomar um café ou o pequeno-almoço, quem ainda não o tiver feito.

Neste ponto temos de cruzar a estrada para nos dirigirmos à igreja de Santa Marinha, ao lado da qual também encontramos um lavadouro e um parque de merendas com zona de descanso. Então teremos um pouco mais de 5 km percorridos. Após uma pequena subida e uma leve descida que percorre pistas salpicadas por algumas casas, a estrada nacional volta a aparecer perante os nossos olhos por volta de Casalderique.

Uma vez mais teremos de cruzar a N-550, pelo que muito cuidado, pois não é um bom sítio para atravessar a estrada. Neste ponto (marco 34,584 km) encontra-se uma área de descanso com máquinas de vending e bancos e entramos no município de Valga. A partir daqui, vamos por um caminho que avança em paralelo à AP-9 até ao lugar de O Pino, onde, para além de um bar, existe um desvio para o albergue de peregrinos da Xunta da Galiza.


Um pouco mais adiante viramos à direita para o monte Albor e o rio Valga até chegarmos a San Miguel de Valga, núcleo populacional no qual se destaca a igreja paroquial do século XVIII. Aqui podemos fazer um descanso no bar/autosserviço e obter provisões. A partir daqui, o Caminho percorrerá pequenas aldeias de casas dispersas e zonas de pinheiros e eucaliptos que nos dão as boas-vindas ao município de Pontecesures.

Ao chegarmos à freguesia de Infesta teremos de cruzar a estrada com muita precaução, para depois prosseguir por novos caminhos rurais que nos conduzem diretamente ao Albergue de Peregrinos de Pontecesures e à igreja de São Julião, capela românica mandada construir pelo Bispo Xelmírez em 1116. Destaca-se a sua torre-campanário e os 12 modilhões românicos. A poucos metros encontramos o Cruzeiro de São Lázaro (séc. XIV) e um lavadouro, elementos que faziam parte do conjunto de uma leprosaria da Obra Pia de São Lázaro.


A uns 100 m da igreja de São Julião encontramos à direita o desvio para o albergue do Convento de Herbón, que está a uns 2,5 km. O albergue, administrado pela Associação Galega de Amigos do Caminho de Santiago, fica no mosteiro franciscano famoso por ser o lugar onde nasceram os aclamados pimentos.


Nós continuamos o nosso Caminho do lado esquerdo e, após uma passagem de nível, preparamo-nos para cruzar o rio Ulla.
Antes de cruzar as suas águas, o peregrino irá encontrar-se com um fito xacobeo (marco jubilar) ou poste de pedra que serve para indicar a direção ou as distâncias. Este representa o Apóstolo Santiago como peregrino e foi realizado por ‘O Pequeno’, um canteiro de Calo.
A escultura é completada com um Vía Crucis que assinala a Rota Jubilar do Mar de Arousa e o Rio Ulla, recordando a chegada por mar dos restos do Apóstolo no ano 44 desde Jerusalém. Todos os anos, no domingo anterior a 25 de julho, celebra-se uma romaria ou peregrinação seguindo esta rota marítima que liga O Grove a Padrón.

Depois de cruzarmos a ponte deixamos a província de Pontevedra para entrar na de A Corunha. Faltam 2 km para chegar ao Albergue Municipal de Padrón e concluir, assim, a nossa quinta etapa do Caminho Português. Indo pela rua Pombal de Abaixo chegamos ao rio Sar, o mesmo pelo qual chegaram os discípulos do Apóstolo Santiago a Padrón. Uma grande reta irá levar-nos ao passeio do Espolón de Padrón, centro nevrálgico da localidade.
Depois de ser recebido pelos bustos do Nobel de Literatura, Camilo José Cela, e de uma das escritoras galegas mais universais, Rosalía de Castro, o peregrino deve dirigir os seus passos para o final do passeio onde tem à sua espera a igreja de Santiago.
Do original templo românico quase não resta nada.

A atual igreja de Santiago de Padrón é de meados do século XIX, mas sob o seu altar encontramos um dos símbolos jubileus por excelência: o pedrão.
Trata-se de uma ara romana de pedra que, segundo conta a tradição, serviu para amarrar a barca na qual chegou o corpo do Apóstolo. 
Na igreja de Santiago o peregrino também poderá pôr o carimbo na Credencial que demonstra o seu percurso de quase 20 km.
Para além da Traslatio (trasladação dos restos do Apóstolo de Jerusalém para Santiago), o peregrino poderá descobrir em Padrón outras lendas jubilares como a da Rainha Lupa.
Segundo a tradição, a rainha Lupa era uma poderosa dama pagã, senhora das terras onde se encontra a atual Santiago de Compostela e toda a sua envolvente.
Como aparece no Códice Calixtino, Lupa reinava no momento em que os discípulos do Apóstolo Santiago arribaram a Padrón e lhe pediram autorização para enterrar os seus restos. Ao princípio tenta enganar os discípulos do Apóstolo com vários estratagemas, mas, finalmente, acaba convertida ao cristianismo após observar que os discípulos de Santiago superam de forma surpreendente todas as adversidades.

Com tantos quilómetros acumulados nas nossas pernas e um pouco mais sábios é um bom momento para desfrutar da gastronomia local. Padrón é mundialmente conhecido pelos seus pimentos. Se for época deles, não hesites em prová-los, embora já sabes: os pementos de Padrón, uns pican e outros non (os pimentos de Padrón, uns picam e outros não).
Também são muito famosas as suas pulperías. As mais famosas encontram-se na Praça das Traviesas e na Praça de Macías.
Se o nosso destino for o Albergue de Peregrinos, temos apenas de cruzar o rio e subir a rua íngreme do Carmen até ao convento do mesmo nome. Aos seus pés encontramos a Fonte de Carmen, na qual se encontra uma figura do Apóstolo. Datada em 1577, a sua iconografia representa o batismo da Rainha Lupa por Santiago e a Traslatio.

Após um descanso podemos aproveitar a tarde para visitar a freguesia de Iria Flavia, situada a 1 km de Padrón. Para além da sua formosa colegiada, que foi a primeira catedral galega, podemos visitar a Fundação Camilo José Cela, que recolhe o extenso legado do Prémio Nobel galego, e visitar o seu túmulo no bonito cemitério de Adina. Outra proposta literária é uma ida à Casa Museu Rosalía de Castro, a morada na qual a célebre escritora passou os seus últimos anos.

Se o peregrino chegar num domingo deve saber que Padrón realiza um dos mercados mais importantes da província. Em redor da Praça de Abastos e no Passeio de El Espolón poderemos encontrar todos os produtos locais distribuídos por uns 600 postos.

Conselhos do carteiro

O que ver e fazer em Padrón?

Pilar Martín
Pilar Martín Correos Padrón

“Em Padrón realiza-se todos os domingos o maior mercado da Galiza ao ar livre. É visitado por milhares de pessoas e permite-nos conhecer, comprar e saborear os melhores produtos cultivados na comarca.

Nas margens do Sar, cruzando a Ponte Santiago, podemos visitar a fonte de El Carmen, do século XVI, e por trás da fonte ver o Mosteiro Carmelita, o Convento de El Carmen, construído sobre rocha viva. Dali temos uma bonita panorâmica.

Para os amantes da botânica, junto à estrada N550 temos o Jardim Botânico-Artístico, declarado monumento artístico nacional, que contabiliza 300 espécies vegetais de todo o mundo".


Acomodações de Caldas de Reis - Padrón

Galeria de imagens

Etapa de Caldas de Reis a Padrón, Camino Portugués
Etapa de Caldas de Reis a Padrón, Camino Portugués
El Camino Portugués en su paso por Valga
El Camino Portugués en su paso por Valga
Convento de Padrón, Camino Portugués
Convento de Padrón, Camino Portugués
Peregrino en Padrón, Camino Portugués
Peregrino en Padrón, Camino Portugués
Mojón del Camino Portugués en Padrón
Mojón del Camino Portugués en Padrón
Pimientos de Padrón, Camino Portugués
Pimientos de Padrón, Camino Portugués
Reserva PAQ MOCHILA