Blogue

Ritos peregrinos ao chegar a Santiago

Culture & Traditions of the Camino

Ritos peregrinos ao chegar a Santiago

Compartilhar

  • Facebook
  • Twitter
13-05-2021

O Caminho de Santiago é um ritual em si. Há séculos, peregrinos vindos de todas as partes do mundo caminham sobre os passos de outros peregrinos, seguindo uma rota marcada que chega a Compostela.

Mas ao longo da peregrinação a Santiago realizamos outros ritos como dar três voltas ao redor de um templo para receber sua energia (Eunate), depositar uma pedra para deixar para trás os pecados cometidos (Cruz de Ferro), purificar-nos com um banho (Finisterra) ou receber a bênção do peregrino antes da partida.

Mas se há um lugar no Caminho de Santiago onde o peregrino realiza mais rituais é em Santiago e sua Catedral. Hoje nos aproximamos daquilo que todo caminhante faz ao finalizar seu Caminho.

1. Cruzar a Puerta Santa da Catedral. Um dos ritos mais antigos que ainda existem na Catedral de Santiago é a abertura da Porta Santa. Este ritual inaugura o Ano Santo, aquele em que o dia 25 de julho – Dia do Apóstolo – cai em um domingo.

Sua abertura é tão importante quanto é para o peregrino que chega a Santiago entrar por ela. Situada na Plaza de la Quintana, a Porta Santa conduz o peregrino diretamente ao Altar-mor, onde se encontra o túmulo do Apóstolo.

Não é necessário atravessa-la para ter a indulgência plenária. Embora isso tenha se tornado um rito que simboliza para os peregrinos o apogeu físico, emocional e espiritual do caminho que percorreram para chegar até ali.

2. Abraçar o Apóstolo. O abraço do Apóstolo Santiago é um dos grandes ritos do peregrino. Todo viajante que termina seu Caminho em Santiago não pode deixar a cidade sem se aproximar do altar-mor da Catedral e dar um abraço na escultura do Apóstolo. Com a Covid, o abraço foi substituído por uma reverência.

Depois de abraçar o Apóstolo, os peregrinos costumam ir até a cripta da Catedral e visitar o túmulo do Santo. Estamos diante de um dos rituais mais modernos, do final do século XIX, visto que os restos mortais do Apóstolo nem sempre estiveram sob o altar-mor. Neste artigo, contaremos mais sobre os lugares onde ficava o túmulo do apóstolo.

3. Assistir à Missa do Peregrino. Um dos rituais mais importantes da Catedral de Santiago e mais emocionantes para todo aquele que termina seu Caminho é assistir à Missa do Peregrino.

Trata-se de uma cerimônia muito especial, na qual se dá as boas-vindas aos peregrinos com a leitura dos nomes daqueles que chegaram a Santiago nas últimas 24 horas, sua nacionalidade e local de início. Os peregrinos também podem participar das leituras litúrgicas.

4. Ver o voo do Botafumeiro. Um dos momentos mais esperados da Missa do Peregrino é assistir ao voo do Botafumeiro, o grande incensário que sobrevoa a nave central da Catedral.

Sua origem é incerta, mas consta do Códice Calixtino, pelo que sabemos, no século XII já estava presente na Catedral. Sua função não era outra senão purificar a Catedral de Santiago diante da presença de peregrinos chegados das mais diversas partes da Europa.

Hoje em dia seu voo é todo um espetáculo: oito homens, os “tiraboleiros”, são os encarregados de colocá-lo em movimento carregado de incenso e carvão, seguindo um movimento pendular da cúpula central da Catedral em direção às naves laterais.

Neste artigo você pode descobrir mais curiosidades sobre o Botafumeiro e ver os dias em que ele funciona.

5. Obter a Indulgência Plenária. Ganhar o Jubileu é um dos ritos que todo fiel católico cumpre. Só se consegue em Ano Santo e, para isso, é necessário visitar o túmulo do Apóstolo, fazer uma oração, se confessar e receber a comunhão.

Como dissemos, só se consegue a indulgência plenária no Ano Santo, mas muitos peregrinos, ao chegar à Catedral de Santiago depois do seu Caminho, atendem a esses requisitos. É uma forma de agradecer pelo que vivenciou, de se livrar do mal e começar uma nova vida.

6. Subir ao telhado da Catedral. Segundo a tradição, os peregrinos medievais deviam cumprir outro rito: subir ao telhado da catedral e queimar suas roupas junto à Cruz dos Farrapos. Era um ritual purificador que pode ter sua origem em uma praga sobre a qual era recomendada a eliminação das roupas sujas para evitar os contágios.

Este ritual não chegou aos nossos dias, mas é possível subir ao telhado da Catedral por meio de visitas guiadas em várias línguas. Em vez de queimar roupas, os peregrinos poderão descobrir uma vista totalmente única de Santiago de Compostela.

7. Contemplar o Pórtico de la Gloria. Outra visita imperdível é o Pórtico da Glória, concebido como uma catequese esculpida em pedra, na qual se encontra resumida a fé da Igreja Católica. Ali o Apóstolo, em nome da Igreja, o convida à reconciliação com Deus, consigo mesmo e com seus irmãos.

Após as obras de restauro só pode ser visto por meio de uma visita guiada gratuita. Para obter as entradas (máximo de duas pessoas) é preciso dirigir-se à recepção do Museu (Praza do Obradoiro), de terça a sábado, das 10:00h  às 14:00h.

8. Receber a Compostela. Todo peregrino que chega a Santiago e tenha percorrido os últimos 100 km a pé ou 200 km de bicicleta deverá ir à Oficina do Peregrino (Rúa Carretas, 33) para buscar sua Compostela. Trata-se do documento que atesta a peregrinação a Santiago, que se comprova através dos carimbos colecionados na Credencial.

Antigamente este ritual era realizado na capela da Magdalena, localizada atrás do altar-mor da Catedral. Posteriormente passou à Capela de El Salvador para finalmente ser feito na Oficina do Peregrino.

Existem também ritos mais pagãos, como:

9. Imortalizar a chegada ao Obradoiro. Um dos essenciais é chegar à Plaza del Obradoiro, contemplar a fachada da Catedral de Santiago e eternizar o momento com uma fotografia. De pé, sentado, sozinho, em grupo ou deitado no chão. Em silêncio, com lágrimas nos olhos ou em meio a explosões de alegria. Poucos momentos são tão especiais quanto chegar ao Obradoiro pela primeira vez.

10. Reabastecer as forças. Depois da chegada ao Obradoiro e da visita obrigatória à Catedral, outro dos ritos indiscutíveis de todo peregrino é dar a si mesmo uma homenagem gastronômica. Santiago de Compostela torna isso fácil. Em qualquer taberna, bar ou restaurante da zona histórica é possível saborear produtos típicos como um bom polvo, uma deliciosa empanada ou os melhores mariscos, peixes e carnes da Galiza.

Você tem mais algum rito a cumprir quando chegar a Santiago? Como sempre, encorajamos você a nos contar sobre suas experiências através dos comentários neste artigo ou em nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

¡Buen Camino, peregrinos!

*A foto que ilustra este artigo é de autoria de Claudio Pupi.

* Versão para o Português: Bia Leis - Buen Camino https://buencamino.com.br/


Seu endereço de email não será publicado.
Os campos obrigatórios são marcados com *